Casa no Vale das Araras

  • | compartilhar | imprimir
  • FICHA TÉCNICA

    • arquitetos: Bruno Santa Cecília
    • prêmios: Menção Honrosa - XIV Premiação IAB-MG
    • consultor:
    • colaboração: Ana Fernanda Sasdelli, Caroline Teixeira, Fernanda Rabelo
    • local: Nova Lima, Minas Gerais Brasil
    • área construída: 297m²
    • concurso:
    • projeto: 2008
    • construção: 2009-2010
    • fotos: Leonardo Finotti | Gustavo Xavier
    • imagens:
  • MEMORIAL DESCRITIVO

  • A implantação desta casa teve como princípio o menor impacto possível no terreno e na vegetação existente. Portanto, optou-se pela implantação do volume construído o mais próximo possível da rua, de modo a minimizar a interferência nas áreas remanescentes de vegetação.

    O projeto parte da divisão do programa em três núcleos, e suas diferentes características ambientais refletem-se nos volumes que os encerram. A parte íntima é abrigada pelo volume mais fechado que se ancora e se dilui no terreno, enquanto a parte social é definida pela grande cobertura que se sobrepõe ao primeiro volume, sem tocá-lo. Entre eles, comparece o volume menor que concentra as atividades de serviço. A disposição destes volumes acompanha os limites do terreno e foi feita de tal maneira a permitir que a vegetação penetre nos espaços da casa, física e visualmente.

    Nos espaços de sociabilidade optou-se a continuidade entre interior e exterior, reforçada pelo uso intensivo do vidro, pela manutenção do mesmo material nos pisos, e pela extensão da cobertura em direção ao exterior da residência. Desenvolvendo-se horizontalmente ao longo de toda edificação, esta cobertura dobra-se verticalmente até tocar o solo, de modo a ocultar a presença das edificações vizinhas. Em seus extremos, duas aberturas situadas entre os planos vertical e horizontal resgatam a luz e a vista desobstruída da paisagem.

    Nesta casa, os espaços de transição foram enfatizados na sua função mediar as relações entre dentro e fora, social e íntimo. Em alguns momentos estas transições são mais sutis, em outros deliberadamente mais marcadas.

    A sua maneira, este projeto presta homenagem a duas das melhores casas brasileiras: a Casa de Canoas de Oscar Niemeyer (1952) e a Residência em Catanduva de Paulo Mendes da Rocha (1979).